Psql – Dumps


Backup (dump) e restore

Dump de uma base
pg_dump dbname -h localhost -U postgres > backup.sql

Dump de uma tabela apenas
pg_dump dbname -h localhost -U postgres > backup.sql --table=nome_tabela;

Dump de uma base apenas com algumas tabelas
pg_dump dbname -h localhost -U postgres > backup.sql --table=nome_tabela --table=outra_tabela;

Dump de uma base sem determinada tabela
pg_dump dbname -h localhost -U postgres > backup.sql --exclude-table=nome_tabela;

Dump de uma base excluindo várias tabelas
pg_dump dbname -h localhost -U postgres > backup.sql --exclude-table=nome_tabela --exclude-table=outra_tabela;

Dump do esquema da tabela:
root@server:/var/www/aplicacao# pg_dump -Upostgres -hlocalhost -s -t nome_tabela nome_banco -f nome_saida.sql

PHP – Funções Básicas Arrays

Vamos abordar as principais e mais utilizadas funções para arrays em PHP:

<?php
/*array_keys -> Retorna todas as chaves de um array*/

array array_keys ( array $input [, mixed $search_value [, bool $strict ]] );

/*array_key_exists -> Checa se uma chave ou índice existe em um array*/
bool array_key_exists ( mixed $key , array $search );
/*array_merge — Funde um ou mais arrays*/
array array_merge ( array $array1 [, array $array2 [, array $... ]] );
/*array_pop -> Retira um elemento do final do array*/
array_pop ( array &$array );
/*array_push -> Adiciona um ou mais elementos no final de um array*/
int array_push ( array &$array , mixed $var [, mixed $... ] );
/*array_reverse -> Retorna um array com os elementos na ordem inversa*/
array array_reverse ( array $array [, bool $preserve_keys ] );
/*array_search -> Procura por um valor em um array e retorna sua chave correspondente caso seja encontrado*/
mixed array_search ( mixed $needle , array $haystack [, bool $strict ] );
/*array_shift -> Retira o primeiro elemento de um array*/
mixed array_shift ( array &$array );
/*in_array -> Checa se um valor existe em um array*/
bool in_array ( mixed $needle , array $haystack [, bool $strict ] );
/*sort — Ordena um array*/
bool sort ( array &$array [, int $sort_flags ] );
?>

PHP – Funções Básicas Strings

Vou passar as funções básica de tratamento de Strings, uma coisa é certa em todo código que você fizer vai utilizar ao menos uma..

<?php
/*strcmp -> Retorna < 0 se str1 é menor do que str2; > 0 se str1 é maior do que str2, e 0 se forem iguais.
Note que esta função diferencia maiúsculas e minúsculas.*/
int strcmp ( string $str1 , string $str2 );
/*str_replace -> Esta função retorna uma string ou um array com todas as ocorrências de search em subject substituídas com o valor dado para replace.*/
str_replace ( $search , $replace , $subject ,[int $count ] );
/*str_ireplace ->Esta função retorna uma string ou uma matriz com todas as ocorrencias de search em subject (não diferenciando maiúsculas e minúsculas) substituidas com o valor de replace.*/
str_ireplace ( $search , $replace , $subject,[ int $count ] );
/*strlen ->Retorna o tamanho de uma string*/
int strlen ( string $string );
/*strrpos ->Encontra a posição da última ocorrência de um caractere em uma string*/
int strrpos ( string $haystack , string $needle ,[ int $offset ] );
/*strripos ->Encontra a posição da última ocorrência de uma string case-insensitive em uma string*/
int strripos ( string $haystack , string $needle ,[ int $offset ] );
/*strstr ->Encontra a primeira ocorrencia de uma string*/
string strstr ( string $haystack , $needle ,[ bool $before_needle ] );
/*stristr ->strstr() sem diferenciar maiúsculas e minúsculas*/
string stristr ( string $haystack ,$needle ,[ bool $before_needle ] );
/*strtolower ->Converte uma string para minúsculas*/
string strtolower ( string $str );
/*strtoupper ->Converte uma string para maiúsculas*/
string strtoupper ( string $string );
/*substr ->Retorna uma parte de uma string*/
string substr ( string $string , int $start ,[ int $length ] );
/*trim ->Retira espaço no ínicio e final de uma string*/
string trim ( string $str ,[ string $charlist ] );
/*implode ->Junta elementos de uma matriz em uma string*/
string implode ( string $glue , array $pieces );
/*explode ->Divide uma string em strings*/
array explode ( string $delimiter , string $string ,[ int $limit ] );?>

 

PHP – Hello Word

Olá, vamos começar com os primeiros passos de PHP;

Linguagem de programação muito eficiente e extremamente utilizada na WEB, para acessar base de dados e demais trabalhos. Bem vamos ao que interessa pois o PHP dispensa apresentações:

Todo o código PHP é delimitado pelos caractéres:

<?php
//seu código
?>

Sendo que vários servidores também aceitam outros limitadores, porém dependem de configuração, enquanto a acima é o padrão e não gera surpresas inesperadas;

Comentários:

<?php
//comentário de linha
/*
comentário
de várias linhas
*/
?>

Primeiro código PHP:

<?php
echo 'hello word';
?>

Código simples que exibe a frase ‘hello word’ na tela

jQuery – Eventos

Olá, vamos ver como podemos facilitar nossas vidas utilizando jQuery para tratar eventos. afinal não queremos páginas HTML que não tenham efeitos algum.

Dentre os principais métodos de eventos jQuery temos:

.click() –> ao clicar no elemento;

.hover() –> ao passar o mause sobre o elemento

.focus() –> foco ao  elemento;

.key() –> manipula eventos de teclado;

Segue um exemplo:

$(#div_click").click( function(event){

alert("cliquei na div")

})};

Com esse código jQuery estamos selecionado o elemento com id = “div_click” e atribuindo a ele uma função ao evento click, ou seja quando este elemento for clicado ira disparar um alert com a menssagem “cliquei na div” na tela;

jQuery – método .CSS

Bem agora que já sabemos como selecionar o(s) elementos que queremos “trabalhar” vou mostrar um dos métodos do jQuery que acho mais útil e um dos que de longe mais uso em minhas aplicações; o método .CSS.

Que já utilizou javascript para trocar algum atributo css de elemento sabe como isso é trabalhoso e complicado, uma vez que os métodos javascript não são os mesmos utilizados em CSS, com alterações nos nomes; bem o jQuery deu um geito de facilitar a nossa vida, chamando a função .CSS(“atributo_css”,”valor_atributo_css”); podemos alterar os atributos utilizando as mesmas nomenclaturas que utilizaríamos em CSS:

$(“a”).css(“color”,”#ccc”);

Utilizando o método acima estamos selecionando todos os elementos a(ancora) da página e passando o atributo color = “#ccc”, esta nomeclatura vale também para todas as outras em css(font-size,background,border,padding,….).

Tenho certeza que essa vai ser muito útil, vlw.

 

jQuery – Seletores Extendendo

Hoje vamos ir um pouco mais a fundo e entender melhor como podemos selecionar os objetos na nossa página utilizando  a API jQuery.

Seletores com mais de uma condição:

$(“#id_elemento #id_elemento_filho”);

A seleção ascima retornará o elemento que tiver seu id = “id_elemento_filho” que estiver dentro do elemento com id = “id_elemento”; essa especificação não tem limites e pode se estender mesclando tipos de elementos(td,a,span,…) classes e ids, da mesmo forma que utilizamos em CSS, por exemplo:

$(“div #id_ex .class_ex”);

Temos também o recurso de verificar condições da seleção, verificando se o atributo “title” da tag a é igual a “exemplo”, e retornando apenas os elementos que “casarem” com tal informação:

$(“a[title=exemplo]”);

Esse recurso nos dá opçãp de verificar qualquer atributo do elemento e também podemos buscar por atributos diferentes [title!=exemplo].

Com os recursos de seleção vistos até agora temos capacidade de selecionar qualquer elemento distinto na nossa página e trabalhar com ele, basta um pouquinho de prática.

Abraços

 

jQuery – Seletores

Seletores, são o grande diferencial do jQuery; buscam minimizar código e facilitar a compreensão do mesmo.

Veja um exemplo:

javascript comum: Document.getElementById(“nomeId”);

jQuery: $(“#Id”);

Resumindo: o seletor jQuery se identifica pelo ‘$’ e seus identificadores são os mesmos utilizados em CSS, segue alguns exemplos para facilitar o entendimento:

$(“#id_elemento”)  – seleciona elemento pelo id;

$(“.classe_elemento”)  – seleciona elementos com determinada classe;

$(“td”)  – seleciona elemento do tipo td;

$(“div”)  – seleciona elementos div;

Utilizando os seletores jQuery, apenas separamos os determinados elementos para trabalharmos no código, por si só não realizamos nada; os seletores permitem utilizar qualquer função nativa do javascript, ou seja, podemos simplismente selecionar o elemento desejado com jQuery e aplicar a função nativa javascript a ele, segue um exemplo abaixo:

$(“#fundo”).innerHTML = “texto”;

O exemplo acima seleciona a div com id fundo como seletor javascript, e adiciona o conteúdo texto via javascript nativo sem problema algum.

jQuery – Introdução

Hoje vamos explicar o que é e como utilizar a API de desenvolvimento jQuery;

O que é a API jQuery?

É uma API de desenvolvimento web para facilitar o desenvolvimento de aplicações JavaScript, visando minimizar o código e tornar a programação mais eficiente. Amplamente utilizada por todo o globo e com atualização e melhorias  constantes, atualmente esta entre as mais utilizadas API de desenvolvimento Javacript.

O site oficial da jQuery é http://jquery.com; nele se encontram os links para download e a documentação da API. Atualmente estamos na versão 1.8.2, Note que temos 2 links:

Production – Produção(32kb):

Códigos de  produção, onde temos as funções jQuery na sua forma minimizada para minimizar o tamanho do arquivo a ser carregado pelo browser. Sendo assim suas funções são praticamente não interpretáveis como por exemplo:

aa(a,b){return:a+b};

Development – Desenvolvimento(252kb):

Códigos de desenvolvimento; API com funções completas e bem documentadas;

Na pratica se você vai apenas utilizar a API jQuery sem querer modificar ou produzir sobre a API utilize a jQuery Production, que é muito mais leve.

Como incorporar a API jQuery ao seu site?

Existem 2 opções:

Baixar a API de sua preferença, e incluílo dentro das tag <head></head> do seu site no site:

<script src=”http://www.seu_site/pastas_onde_esta_a_api/jquery.min.js“></script>

Ou incrementa-la diretamente dos grandes provedores como a google, que devido a popularidade da API a disponibilizam gratuitamente pelos seus servidores:

<script src=”http://ajax.googleapis.com/ajax/libs/jquery/1.8.2/jquery.min.js“></script>

Se optar por utilizar a API diretamente de grandes servidores existe as vantagem de possivelmente o usuário já ter este arquivo gravado no próprio cache do browser pois muitos sites atualmente já utilizam esta mesma chamada.

Com estes simples passos já temos nossa API pronta para utilizarmos nos nossos scripts.

Abraços